Sermig

Na última sexta-feira (26/4), a Cia Estável de Teatro, a Companhia que desde 2006 vem desenvolvendo uma pesquisa artística dentro do Arsenal da Esperança, realizou uma intervenção baseada no ALMOÇO DOS POVOS, dinâmica idealizada pela Fraternidade da Esperança para ajudar os jovens (e não somente eles) a refletir sobre aquilo que acontece a cada dia no mundo...

A Companhia Estável, organizadora dessa edição, convidou estudantes do ensino médio a refletirem sobre a má distribuição de alimentos e riquezas e também sobre o tema da “revitalização” dos espaços urbanos. A apresentação contou também com a exposição de fotos, exibição de vídeos e falas de convidados.

Caros amigos,
Cada vez que lhes escrevo, o meu ânimo aumenta porque Deus entra nas palavras, nos sentimentos que gostaria de compartilhar com vocês. O nosso bem mais precioso é o encontro com Deus que tem marcado nossas vidas. Aquele encontro aconteceu porque cada um de nós, em um certo momento, se viu indefeso, descobrindo uma profundidade que guardava dentro de si sem saber. 

Nós somos carne de Deus, somos sua casa. É algo que sinto fluir dentro de mim como a coisa mais natural do mundo, mesmo que não a compreenda profundamente. Como pode ser que o Criador das flores, das águas, das montanhas e de cada coisa seja meu Pai? Como posso explicar-me que esse Pai esteja constantemente unido a mim, com cada um de nós, somente o desejando, somente o desejando verdadeiramente? Ele pensava em mim quando dizia: Seja a luz; ele pensava mesmo em mim, Ernesto, e em cada um de nós, amigos.

18 DE MAIO. Estamos muito próximos da data do 4º Encontro “CONTA COMIGO”, o encontro promovido pela Fraternidade da Esperança para compartilhar um pouco da experiência, dos valores e das atividades vividos no Arsenal da Esperança com muitos jovens de diferentes regiões da cidade. Por isso, hoje, estas equipes maravilhosas colocaram a cabeça para pensar... porque QUEREMOS A PAZ... NÃO SÓ PARA MIM, mas PARA TODOS! SÁBADO 18 DE MAIO: Anote esta data na sua agenda!

08h30: ACOLHIDA 
09h30: A PAZ PARA MIM É... (apresentações)
10h: A PAZ NÃO SÓ PARA MIM É... (atividades)
12h: O “BARULHO” DA PAZ (partilha)
13h: ENCERRAMENTO (e novas propostas)


Evento: 4° encontro com a juventude CONTA COMIGO
Tema: QUERO A PAZ, NÃO SÓ PARA MIM
Data: 18/05, das 9h às 13h
Organização: SERMIG – Fraternidade da Esperança
Local: ARSENAL DA ESPERANÇA - Rua Dr. Almeida Lima 900 (Metrô Bresser-Mooca)

O mundo está cheio de tristezas e medos, que afligem também tantas pessoas que escolheram dar a vida. Onde está fundado o nosso “sim”, a nossa esperança? É necessário visar constantemente ao amor, que é novo a cada dia...

O sim total e sem condições com que aderimos ao Senhor na nossa Fraternidade não tem o sabor da obrigação; é, em vez disso, o fruto de uma escolha pessoal, livre e madura que nos torna pessoas dispostas a dar a vida. Eu poderia dizer “capazes de dar a vida”, mas nas coisas de Deus nunca se é capaz, nunca somos capazes o bastante para comportar a grandeza de Deus. Por isso é sempre Ele que se aproxima, que dá o primeiro passo, e nós, por sua graça, nos dispomos a acolher o seu projeto e a realizá-lo.

Na busca do caminho de dar a vida por amor, livres para escolher, nos tornamos pessoas completas, formadas e descobrimos o potencial de um sim que se repete a cada dia, sempre novo, sempre mais profundo, sempre mais livre. O “sim” só é verdadeiro se é livre de condicionamentos, só assim a pessoa coloca em ação todo o seu potencial para amar. Chegamos a ser livres também no dar a vida, livres também quando aceitamos as condições colocadas por outra pessoa – e no viver juntos isso acontece frequentemente! – ou por fatores externos – uma doença, a perda de uma pessoa querida, a partida para um país longínquo. Mesmo em condições assim extremas, uma pessoa realmente formada chega a sentir-se livre, leve, realizada até mesmo quando humanamente perde tudo. O amor não é amor a não ser na liberdade. Nessa liberdade experimentamos poder amar com o coração indiviso, amar a cada um como ama Deus, que se faz tudo a cada um.

SÁBADO 27 DE ABRIL recomeçam os retiros mensais promovidos pela Fraternidade da Esperança. Contamos com a sua presença!

PROGRAMAÇÃO: 09h, oração das Laudes (Liturgia das Horas). 09h30, palestra com o tema: “Retomando a Carta Apostólica PORTA FIDEI”. 10h30, Silêncio e reflexão pessoal. 11h15, Momento de partilha. Na oportunidade, ao meio-dia, será servido o almoço (Favor confirmar a presença).

Ás 17h00 teremos a celebração da Missa (Liturgia do domingo). Solicitamos os participantes para trazer a Bíblia.

Local: ARSENAL DA ESPERANÇA, Rua Dr. Almeida Lima 900 (Metrô Bresser-Mooca). Contato: 11- 2292.0977 - Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Toda sexta-feira à noite, a partir das 19h30, no Arsenal, realizamos um encontro chamado de “UMA CASA QUE ACOLHE”. Testemunhos, vídeos, reflexões... Nos ajudam a compartilhar com as pessoas acolhidas – sobretudo com aquelas que acabaram de chegar na casa – a história e a experiência dos Arsenais, do SERMIG, do nosso fundador, da amizade com Dom Luciano Mendes, etc.

O objetivo do encontro é comunicar nossa história espiritual e concreta, as alegrias e as dores, enfim, como tudo aconteceu (e continua acontecendo) graças a muitas pessoas que confiam em nós, que nos apoiam e que continuam pensando e sonhando, junto conosco, em como melhorar uma casa que já acolheu mais de 43 mil.

No Arsenal da Esperança, começou hoje o serviço de consultas e procedimentos em PODOLOGIA oferecido pelos alunos e professores do Curso de Graduação Tecnológica em Podologia da Universidade Anhembi Morumbi. Agradecemos a todos pela efetiva colaboração na promoção da dignidade humana.

Hoje há dezenas de conflitos no mundo e outros estão começando no Norte da África, no Oriente Médio e na Ásia. A paz continua perecendo utopia. Então porque devemos acreditar nela? Rosanna, da Fraternidade da Esperança, comenta a página da Regra sobre SERVIR À PAZ.

Quando lemos essa página da Regra lembramos do encontro de Ernesto Olivero con Giorgio la Pira, então prefeito de Florença e agora servo de Deus, a caminho da santidade. Era 1973 e esse homem manso e perspicaz escrevia: “Sim, ao desarmamento de Isaías não há alternativa: a PAZ constitui hoje – e sempre mais – o único sentido da história... ”. La Pira nos ensinou a acreditar que a paz não é uma vaga utopia de sonhadores, mas é a concretude da esperança, é acreditar, na escuridão da noite, que a cada manhã o sol volta a surgir.

Hoje há dezenas de conflitos no mundo e outros estão começando no Norte da África, no Oriente Médio e na Ásia. Em qualquer momento o desânimo pode fazer-se caminho, mas é apenas por um momento, depois ressurge do coração a resposta, clara como uma fonte de água: servir à paz é, em primeiro lugar, cultivar a esperança certa de que a paz é possível, apesar da complexidade de cada geração. É acreditar que a história que vivemos é parte da história de salvação do Reino que avança. Deus abençoará o Seu Reino com a justiça e com a paz, como Jesus anunciou, mas não sem nós. A paz é possível, mas, como cada dom de Deus, nos é dada a liberdade de procurá-la com um compromisso pessoal, de implorá-la com uma oração incessante, de escolhê-la com a vontade de nos desarmarmos nós mesmos.

Depois dos encontros sobre o tema da CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2013: “FRATERNIDADE E JUVENTUDE”, a Fraternidade da Esperança retoma os encontros no âmbito do ANO DA FÉ: “A NOSSA FÉ SE PODE VER – catecismo com os ícones”.

Vamos rezar e refletir a partir dos ícones, uma “janela aberta para o divino” que nos remete para uma mensagem de fé, a “visão do Invisível” (Hb 11, 1).

Próximo encontro, TERÇA-FEIRA, 2 DE ABRIL, 20h, no ARSENAL DA ESPERANÇA. Tema: “A TRINDADE”, ajudados pelo ícone conhecido como “o ícone dos três Anjos", do iconógrafo Russo André Rublev, um dos ícones mais famosos de todas as épocas.

Como sempre, os encontros são abertos a todos que quiserem crescer junto conosco, na esperança e na vontade de fazer o bem.

No Domingo de Ramos Jesus entrou em Jerusalém, mas também em São Paulo, Buenos Aires, Nova York, Roma e em muitos outros países, cidades, municípios. Quem O acolheu? Quem O aclamou como rei? Quem O imita como mestre? Talvez estejamos cansados ou não entendamos mais o que significa acreditar que Jesus deu sua vida por mim, por nós.

Não podemos. Somos nós os seus discípulos hoje e, com os nossos mantos, com as nossas pobrezas e incertezas, podemos dar-Lhe as boas-vindas e dizer a Ele: "Entre, porque precisamos saber que Você nos ama".

Se eu pensar em quantas oportunidades de fazer o bem temos no decorrer das nossas vidas, fico sem fôlego! Cada um de nós pode começar consigo mesmo, se alimentando bem, cuidando de si mesmo, estudando para descobrir sua vocação, mas, quase que naturalmente, este bem se alarga às pessoas que estão perto de nós, aos filhos, aos parentes mais próximos, aos amigos... 

É muito mesmo o bem que podemos fazer! Mas ainda não é suficiente... Para estar bem, para estar em paz com a nossa consciência, o bem pode e deve se propagar em outras formas, em outras áreas, com outras pessoas, fazendo parte de uma comunidade que trabalha e cria benefícios contínuos, para qualquer homem e mulher. O homem é construtor da sociedade, e se os justos não falam, não atuam, não se pronunciam, serão outros a construir a sociedade. Este é um dos segredos da felicidade: não posso ser feliz sozinho, porque esse tipo de felicidade é mentir a si mesmo.

Mais uma página da Regra da Fraternidade da Esperança comentada por Rosanna Tabasso. O tema é o “Reconhecimento”: agradecer é saber que Deus nunca nos abandona, é entrar na mentalidade do Evangelho.

Somos o que comemos, somos o que vestimos, o que aprendemos, somos as experiências que vivemos, as pessoas que encontramos, mas não somos só isso. Somos principalmente aquilo pelo que agradecemos. Porque quando agradecemos por alguma coisa ou por alguém, nos mostramos conscientes de ter recebido e, consequentemente, de ter enriquecido, percebemos que tudo o que é vivido se torna parte de nós, tanto as coisas pequenas quanto as grandes. 

O vazio de sentido que frequentemente sentimos no final de um dia – para que serve aquilo que fiz, não terminei nada, os problemas são sempre os mesmos – nasce da falta do hábito de agradecer.

De fato, durante todo o dia e também à noite – por exemplo, quando não conseguimos dormir – a primeira palavra que deveria vir à mente ou aos lábios é OBRIGADO: obrigado porque Deus me ama e eu o amo, obrigado pelas pessoas que tenho por perto, obrigado porque recebi ajuda e pude ajudar, obrigado porque compreendi uma coisa nova, obrigado porque encontrei uma pessoa, obrigado porque fui perdoado, obrigado porque perdoei, obrigado pelo que recebi e obrigado pelo que pude “restituir”.

Em vez de preencher os momentos vazios com intermináveis “rosários” de agradecimentos, nós deixamos que o vazio se preencha com sugestões externas e nos deixamos invadir por mensagens televisivas, por slogans publicitários, por jingles que entram na cabeça e nos fazem pensar no carro de último tipo, na roupa da última moda, no celular que acabou de sair no mercado... E desde cedo, em vez de repetir “obrigado”, ficamos cantarolando a nova música das paradas de sucesso.

Hoje estamos em um período no qual levantar a voz, denunciar e atacar os outros parece a coisa certa, a mais normal, a maneira mais rápida para “fazer justiça”, para fazer “limpeza”. É o nosso tempo, filho de tantas atitudes. Mas, entretanto, os problemas reais permanecem e ninguém parece ter a capacidade de dar uma resposta concreta.

Uma sociedade que tem um problema, se for capaz de analisá-lo com humildade e seriedade e de se colocar à disposição para resolvê-lo, pode transformar aquele problema em uma oportunidade para construir a paz, para todos, não só para mim!

Nós estamos tentando passar essa mensagem com todas as dificuldades de quem tenta botar a mão na massa, aliás, “na lama” da vida real, porque não podemos sonhar com uma sociedade melhor sem pôr a mão na massa...

Agradecemos ao ALEX BASTOS que, apesar do “irmão frio”, veio partilhar um pouco de sua experiência na JUFRA - Juventude Franciscana ;)